Khion

 

Kihon, palavra japonesa para básico, é o termo utilizado no Karaté para definir as técnicas elementares, e que intrinsecamente, significa espírito fundamental. Numa visão simplista, as posições, os batimentos de pernas e braços e as defesas fazem parte do Kihon,  e é através da sua prática constante que aprendemos e fazemos evoluir as nossas técnicas de Karate.

 

É durante o treino de Kihon, ou treino básico, que repetimos vezes sem conta todos os movimentos isolados do Karate. Trata-se de um treino fundamental para o praticante, esteja opraticante vocacionado para a competição e /ou não. Sem um bom Kihon, sem uma boa base, não é possível ser um bom Karateca visto que o domínio das técnicas elementares é indispensável para fazer um bom kata ou ser bem sucedido num combate.

 

O Kihon é também uma disciplina do Karate que qualquer Karateca, seja principiante ou graduado, pode e deve praticar sozinho e em qualquer lugar. No entanto, muito embora o possa fazer, é durante as aulas práticas com o seu Sensei (Professor), devem fazer o aproveitamento ao máximo das correções ou observações que ele lhes dirige, pois só assim o seu nível técnico é substancialmente melhorado.

    

Tachikata: O conhecimento das posições é a primeira etapa a ter em conta pelo praticante. Sem esse domínio torna-se impossível progredir.

 

Tsukiwaza (golpes usando os braços): Série de ataques que se podem efectuar utilizando os braços (mãos, cotovelos, punhos, etc.).

 

Ukewaza (defesas utilizandos braços): Série de defesas que se podem efectuar utilizando os braços (mãos, cotovelos, punhos, etc.). Existem defesas onde também se podem usar as pernas.

 

Keriwaza: Série de ataques que se podem efectuar usando as pernas (pés, joelhos, etc.).

 

Renrakuwaza: Combinações de técnicas.